Conheça o nosso Projeto "Brincadeiras de Criança".

Biografia - Letra da Música - Texto sobre ausência do rosto em suas obras, Forma de Criação, Técnica, Materiais, Suportes,O direito e a importância do Brincar, Fundamentos Teóricos – Conceito de brincar,Objetivo, Relação das Editoras que publicaram livros Didáticos e Paradidáticos com as nossas obras...

Envie também seu Projeto Pedagógico, fotos e vídeos para serem publicadas no nosso site.

Ivan Cruz

O artista Plástico Ivan Cruz nasceu em 1947 nos subúrbios do Rio de Janeiro, e brincava pelas ruas de seu bairro como toda criança...

Apesar de amante da Arte, enveredou-se pelo caminho do Direito e se formou em 1970, mas nunca deixando de lado a pintura, o que mostrou freqüentando a Sociedade Brasileira de Belas Artes nos anos 60 e visitas constantes ao MAM e ao Museu Nacional de Belas Artes. Em 1978 troca o sucesso financeiro do Rio pela beleza natural de Cabo Frio: o sol, o mar e seus frutos contagiam seu espírito.

No ano de 1986 resolve abandonar a advocacia e se dedicar integralmente à produção artística, e lembra que quando jovem, a primeira pintura que conheceu foi de Portinari em sua fase geométrica. A sua preocupação foi sempre com a criação e não com a cópia ou engajamento em alguma Escola já criada. Ingressa na Escola Brasileira de Belas Artes (hoje EBA) da U.F.R.J., freqüentando seus bancos escolares pelo tempo que julgou necessário. Sempre acreditou ser o ecletismo a sua unidade, querendo sempre criar e não copiar apenas.

Passou a fazer uma série de exposições em Cabo Frio e demais municípios da Região dos Lagos, além do Rio de Janeiro, sempre com estilos diversos a cada exposição, passando por temas abstratos e figurativos, das mais diversas variações de sua expressão pessoal.

Em 1990, se preparando para uma exposição em Portugal, Ivan Cruz pintou seus primeiros quadros com temas de sua infância, mais precisamente suas Brincadeiras. O sucesso foi tão grande por aqui, que ele cancela sua exposição em Portugal e expõe em várias cidades da Região dos Lagos e no Rio de Janeiro.

Passou a retratar em suas telas: piões, crianças pulando corda, jogando bola-de-gude, pulando amarelinha, soltando pipa, pulando carniça e muito mais...

De 1990 até hoje, Ivan Cruz pintou cerca de 600 quadros, retratando mais de 100 brincadeiras distintas, e chamou essa série de “Brincadeiras de Criança”, que cresceu de tal forma sua expressão e repercussão que se transformou em um projeto, pois passou a reunir em suas exposições não só os quadros, mas os brinquedos retratados, oficinas de brincadeiras e confecção de brinquedos, contadores de história, além de uma ambientação com músicas da época, como cantigas de roda...Tudo nascido do sonho, da saudade e da vontade de fazer com que todos voltassem a brincar e as crianças de hoje aprendam o verdadeiro espírito dessa arte que está sendo deixada de lado hoje em dia.

Ivan Cruz baseia seu trabalho na frase que criou: “A criança que não brinca não é feliz, ao adulto que quando criança não brincou, falta-lhe um pedaço no coração”. 

Sucesso total, o projeto vem crescendo com inúmeras exposições em várias instituições e espaços culturais, sempre ganhando força e aplausos das mais diversas camadas sociais e profissionais, por apresentar como importante ferramenta para as áreas de Arte-educação, Pedagogia, Educação Física, Música, Psicologia Infantil, Literatura entre outras, sempre servindo também como disseminador das Artes Plásticas no público em geral.

Em 1999, a Telemar, reproduziu oito telas suas em cartões telefônicos, numa produção de mais de um milhão de cartões na série “Brincadeiras de Criança”.

Algumas Fotos:
clique nas fotos para ampliar

 


 


Ivan tem como objetivo divulgar o máximo possível esse seu resgate ao lúdico, à imaginação, quer incentivar ao máximo o desenvolvimento real das nossas crianças no feliz mundo das brincadeiras, fugindo dos custos e problemáticas urbanas que esse público tanto sofre nos dias atuais, confinadas a play-grounds, ao à frente de computadores, TVs e videogames, desacostumadas ao convívio coletivo e ao desenvolvimento motor proporcionado por tais jogos infantis de outrora.

Hoje as imagens criadas por Ivan Cruz, podem ser vistas em camisetas, imãs de geladeira, jogo da memória, gravuras e diversas aplicações destas, pois todos devem ter acesso à Arte e à tão rico tema. Compôs também uma música, que tem letra do artista e música de Marcos Vinícius com esse tema.

Suas telas são de cores fortes e variadas de cerca de 1 metro por 1 metro (1 metro quadrado) em técnica: Acrílico sobre tela, logo chamam a atenção da garotada que se diverte, junto aos adultos que entram em um verdadeiro “túnel do tempo” ao rever suas gostosas brincadeiras.

A “Brincadeira” já chegou até ao meio científico, onde seu filho Ivan Neto, que cursa o último período de Engenharia na UFRJ, elaborou explicações físicas para as mais diversas brincadeiras como: pião, balão, barquinho de papel... 

Em junho de 2001 Ivan Cruz entra no mundo das Esculturas, onde concluiu sua primeira escultura em bronze “Pulando Amarelinha”, e até hoje fez cerca de 15 dessas brincadeiras, com aproximadamente 20 cm cada, e já esta trabalhando em esculturas em tamanho natural (cerca de 1,20m), para ambientar a Praça Américo Vespúcio, em Cabo Frio, num projeto em parceria com a prefeitura da cidade, Inaugurado dia 21 de julho de 2001 o Espaço Cultural Ivan Cruz, na galeria ArteBrasil.

 

Em 2002, a Prefeitura de Arraial do Cabo adquiriu a escultura “pulando carniça”, em bronze (tamanho natural), que foi instalada na praça Castelo Branco, no mesmo município.

Tem esculturas e pinturas expostas na Galeria Errol Flynn, em Belo Horizonte. No Rio de Janeiro: Funarte, Museu Nacional de Belas Artes e Museu da República são alguns dos espaços onde podemos encontrar suas “crianças brincando”.

Seu ateliê é aberto para visita agendada: 22 - 2647 2957 & 22 - 8812 6168

 


O artista Plástico Ivan Cruz nasceu em 1947 nos subúrbios do Rio de Janeiro, e brincava pelas ruas de seu bairro como toda criança...
Apesar de amante da Arte, enveredou-se pelo caminho do Direito e se formou em 1970, mas nunca deixando de lado a pintura, o que mostrou freqüentando a Sociedade Brasileira de Belas Artes nos anos 60 e visitas constantes ao MAM e ao Museu Nacional de Belas Artes. Em 1978 troca o sucesso financeiro do Rio pela beleza natural de Cabo Frio: o sol, o mar e seus frutos contagiam seu espírito.
No ano de 1986 resolve abandonar a advocacia e se dedicar integralmente à produção artística, e lembra que quando jovem, a primeira pintura que conheceu foi de Portinari em sua fase geométrica. A sua preocupação foi sempre com a criação e não com a cópia ou engajamento em alguma Escola já criada. Ingressa na Escola Brasileira de Belas Artes (hoje EBA) da U.F.R.J., freqüentando seus bancos escolares pelo tempo que julgou necessário. Sempre acreditou ser o ecletismo a sua unidade, querendo sempre criar e não copiar apenas.
Passou a fazer uma série de exposições em Cabo Frio e demais municípios da Região dos Lagos, além do Rio de Janeiro, sempre com estilos diversos a cada exposição, passando por temas abstratos e figurativos, das mais diversas variações de sua expressão pessoal.

Em 1990, se preparando para uma exposição em Portugal, Ivan Cruz pintou seus primeiros quadros com temas de sua infância, mais precisamente suas Brincadeiras.

1º Quadro da Série Brincadeiras de Criança, nasceu na Praça Porto Roça - Cabo Frio, com o Título: " Crianças na Praça" - Técnica: A.S.T. - Dimensão: 1,00 X 1,00 m - Acervo do Artista.

O sucesso foi tão grande por aqui, que ele cancela sua exposição em Portugal e expõe em várias cidades da Região dos Lagos e no Rio de Janeiro.
Passou a retratar em suas telas: piões, crianças pulando corda, jogando bola-de-gude, pulando amarelinha, soltando pipa, pulando carniça e muito mais...
De 1990 até hoje, Ivan Cruz pintou mais de 500 quadros, retratando mais de 100 brincadeiras distintas, e chamou essa série de “Brincadeiras de Criança”, que cresceu de tal forma sua expressão e repercussão que se transformou em um projeto, pois passou a reunir em suas exposições não só os quadros, mas os brinquedos retratados, oficinas de brincadeiras e confecção de brinquedos, contadores de história, além de uma ambientação com músicas da época, como cantigas de roda...Tudo nascido do sonho, da saudade e da vontade de fazer com que todos voltassem a brincar e as crianças de hoje aprendam o verdadeiro espírito dessa arte que está sendo deixada de lado hoje em dia.
Ivan Cruz baseia seu trabalho na frase que criou: “A criança que não brinca não é feliz, ao adulto que quando criança não brincou, falta-lhe um pedaço no coração”.

Sucesso total, o projeto vem crescendo com inúmeras exposições em várias instituições e espaços culturais, sempre ganhando força e aplausos das mais diversas camadas sociais e profissionais, por apresentar como importante
ferramenta para as áreas de Arte-educação, Pedagogia, Educação Física, Música, Psicologia Infantil, Literatura entre outras, sempre servindo também como disseminador das Artes Plásticas no público em geral.
Participou no dia 10 de novembro de 1998 do programa “Sem Censura” da TVE.

-Exposição EMERJ-Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro – de 12 de abril a 16 de abril de 1999. RJ/RJ
- Exposição e Oficina na Escola Doce Carinho e Instituto Andrade e Lenzi – 14 de maio de 1999. Cabo Frio/RJ

- Exposição na Primeira Vara da Infância e da Juventude – de 21 a 30 de junho de 1999 – Rio de Janeiro/RJ – com especial recomendação do Exmo Sr Juiz Titular da 1ª Vara – Siro Darlan de Oliveira.

- Exposição na Mostra Regional de Quadrilhas – dia 09 de julho de 1999 – CIEP 272- São Pedro da Aldeia -RJ

- 2º lugar na I Gincana de Pintura da ACAP (Associação Cabofriense de Artes Plásticas) – dia 17 de julho de 1999 – Espaço Cultural – Cabo Frio/RJ

-Exposição no Teatro Municipal de Cabo Frio – dias 24 3 25 de julho de 1999 – Teatro Municipal – Cabo Frio-RJ

-Exposição no Projeto Especial Fal’Arte – outubro de 1999 – CEI – Centro de Ensino Integrado Canto dos Pássaros – Cabo Frio/RJ.

- Exposição no SESC –Três Rios – de 05 a 14 de outubro de 1999 – galeria SESC Três Rios – Três Rios/ RJ.

- Exposição na XIV Feira de Livros Infantis – SESC Três Rios – de 09 a 12 de novembro de 1999. – SESC – Três Rios/RJ.

- Exposição na posse do Conselho Tutelar de Cabo Frio – dia 27 de novembro de 1999 – Tamoyo Esporte Clube – Cabo Frio/RJ.

- Exposição Coletiva na Inauguração do Espaço Mezanino das Artes – 15 de novembro de 1999 – Restaurante Zeppelin – Cabo Frio/RJ

- Exposição coletiva Espaço Cultural Villa Rosada – de 11 de dezembro de 1999 a 10 de março de 2000. – Villa Rosada – Cabo Frio/RJ.

- Exposição coletiva ARTPRAÇA – de 07 de janeiro a 07 de fevereiro de 2000 – Casa de Cultura José de Dome (Charitas) – Cabo Frio / RJ.
-Exposição coletiva “O Brasil Começou aqui” – abril de 2000 – Casa de cultura José de Dome (Charitas) – Cabo Frio/RJ.

- Exposição Brincadeiras de Criança – março de 2001 – Casa de Cultura José de Dome (Charitas) – Cabo Frio/RJ.

-Exposição coletiva “Folclore” – agosto a setembro de 2001 -  Biblioteca Municipal Murilo Mendes – FUNALFA / SME – Juiz de Fora – MG.

- Exposição Brincadeiras de Criança – Conjunto  da Caixa  - Galeria – Caixa Econômica Federal – R.J. - 2001
 
 - Participação na UNILAR 2002 – junho - em Belo Horizonte, com gravuras e esculturas (Bronze e em tamanho natural).

Muitas escolas e até universidades já tiveram mostras de sua arte, e até fizeram trabalhos de arte-educação com seus motivos.

Em 1999, a Telemar, reproduziu oito telas suas em cartões telefônicos, numa produção de mais de um milhão de cartões na série “Brincadeiras de Criança”.
Ivan tem como objetivo divulgar o máximo possível esse seu resgate ao lúdico, à imaginação, quer incentivar ao máximo o desenvolvimento real das nossas crianças no feliz mundo das brincadeiras, fugindo dos custos e problemáticas urbanas que esse público tanto sofre nos dias atuais, confinadas a play-grounds, ao à frente de computadores, TVs e videogames, desacostumadas ao convívio coletivo e ao desenvolvimento motor proporcionado por tais jogos infantis de outrora.
Hoje as imagens criadas por Ivan Cruz, podem ser vistas em camisetas, imãs de geladeira, jogo da memória, gravuras e diversas aplicações destas, pois todos devem ter acesso à Arte e à tão rico tema. Compôs também uma música, que tem letra do artista e música de Marcos Vinícius com esse tema.
Suas telas são de cores fortes e variadas de cerca de 1 metro por 1 metro (1 metro quadrado) em técnica: Acrílico sobre tela, logo chamam a atenção da garotada que se diverte, junto aos adultos que entram em um verdadeiro “túnel do tempo” ao rever suas gostosas brincadeiras.
A “Brincadeira” já chegou até ao meio científico, onde seu filho Ivan Neto, que cursa o último período de Engenharia na UFRJ, elaborou explicações físicas para as mais diversas brincadeiras como: pião, balão, barquinho de papel...

À última investida de Ivan Cruz é pelo mundo da Escultura, em junho de 2001 concluiu sua primeira escultura em bronze “Pulando Amarelinha”, e até hoje fez cerca de 15 dessas brincadeiras, com aproximadamente 20 cm cada, e já esta trabalhando em esculturas em tamanho natural (cerca de 1,20m), para
ambientar a Praça Américo Vespúcio, em Cabo Frio, num projeto em parceria com a prefeitura da cidade,
Inaugurado dia 21 de julho de 2001 o Espaço Cultural Ivan Cruz, na galeria ArteBrasil.
Em 2002, a Prefeitura de Arraial do Cabo adquiriu a escultura “pulando carniça”, em bronze (tamanho natural), que foi instalada na praça Castelo Branco, no mesmo município.
-  Em 2003 inaugura a Galeria de Arte Ivan Cruz , junto ao Marchand Português Armando Braga.

- 2003 Expõe de Norte a Sul de Portugal a Exemplo:

- Exposição Brincadeiras de Criança – Galeria Paspatur - Lisboa – Portugal.

- Exposição Brincadeiras de Criança – Museu do Brinquedo –Ceia – Serra das Estrelas – Portugal.

- Exposição Brincadeiras de Criança – Museu Serpa Pinto –Grande Porto – Portugal.

- Exposição Brincadeiras de Criança – Casa de Cultura Gabriel Joaquim dos Santos -  São Pedro da Aldeia – 2006

- Exposição Brincadeiras de Criança – Spoleto – Cabo Frio – 2008.

- Exposição Brincadeiras de Criança – IV Encontro Estadual dos Grupos de apoio à  adoção – Agos 2008.

- Exposição Brincadeiras de Criança – Sesc Três Rios – out 2007 - 2008 – 2009 – 2010.

- Exposição Brincadeiras de Criança - Planetário da Gávea R.J. – outubro de 2009.
- Exposição Brincadeiras de Criança – OAB – Cabo Frio – R.J. 2010.

Projeto "Brincadeiras de Criança" estão em livros didáticos e para didáticos das Editoras: Ed. do Brasil, Ed. Saraiva, Ed. Ática,Ed.Tempo Composto, Ed.COC, Ed. SAS, Ed. Moderna, Ed. IESDE, Ed. Positivo,Ed. FTD,Multirio, Prefeitura do Rio de Janeiro, Prefeitura de Barueri, Prefeitura de São José do Rio Preto, materiais de professores, universidades ... entre outras.

Sua página na internet é : www.brincadeirasdecrianca.com.br, onde todos tem acesso ao projeto e ao artista
Exposição permanente no Espaço Cultural de Cabo Frio - Praia do Forte e seu Ateliê - Rua Silex nº 34 - Portinho - Cabo Frio - R.J.
Tem esculturas e pinturas expostas na Galeria Errol Flynn, em Belo Horizonte. No Rio de Janeiro: Funarte, Museu Nacional de Belas Artes e Museu da República são alguns dos espaços onde podemos encontrar suas “crianças brincando”.
Ivan Cruz tem seu Ateliê aberto para visitação e oficinas, onde você encontra  um espaço intitulado “Brincadeiras de Criança” na cidade de Cabo Frio, rua Silex nº 34 Portinho , onde expõe suas obras e idéias de como se viver melhor brincando.

Até breve com mais novidades.

                                                         Cabo Frio, 19 de novembro de 2010.

*********************************************************************************

 

Saiba mais sobre o artista Plástico Ivan Cruz.

O artista plástico Ivan Cruz, pinta a sua primeira tela que deu origem ao Projeto “Brincadeiras de Criança”, na Praça Porto Rocha – Cabo Frio com o tema – “Crianças Brincando na Praça”.
A partir desta tela seus dias foram dedicados para o resgate do mundo lúdico, que a era da computação está ocupando.
 
 O direito e a importância do brincar:

O direito à infância é o direito ao brincar, que possibilita a construção de uma identidade infantil autônoma, cooperativa e criativa, inscrevendo o indivíduo na ordem do simbólico e da cultura.
Compreendendo o brincar como um universal que está ligado a qualquer tipo de civilização, pesquisas realizadas com crianças em idade pré-escolares demonstram que a brincadeira contribui para o desenvolvimento mental, pois, através do brincar se processa a organização do sujeito, o desenvolvimento da linguagem, o aprendizado, a exploração e conhecimento do mundo, mediados pela ação do adulto.
Considerando que brincar é primordial à saúde física, mas principalmente ao desenvolvimento emocional e intelectual do sujeito; que é brincando que se proporciona o reequilíbrio das emoções e a necessidade de conhecer e reinventar.

Fundamentos Teóricos – Conceito de brincar:

Brincar é uma forma básica de comunicação infantil na qual as crianças inventam o mundo e elaboram os impactos exercidos pelos outros. Quando isto não acontece, pode ser um indicador de psicopatologia.
O termo brincar origina-se do latim vínculo, que quer dizer laço, união, tendo uma especificidade que não se encontra nas línguas estrangeiras: os verbos spielen (alemão), to play (inglês), jouer (Francês) e jugar (espanhol) que significam tanto brincar quanto jogar e também são usados para definir outras atividades como a interpretação teatral ou musical.
O termo latino ludos é de maior  amplitude, pois se remete às brincadeiras, aos jogos de regras, às competições, à recreação e às representações teatrais e litúrgicas. Dele deriva para o português o termo lúdico, que quer dizer aquilo que se refere tanto ao brincar quanto ao jogar.
O jogo é objeto de estudo das mais diversas ciências como Pedagogia, Psicologia, a Sociologia, a Psicanálise e Antropologia.
 

Objetivo:

 - Dar as crianças noção de arte através dos quadros e/ou esculturas e/ou gravuras e/ou desenhos e/ou aquarelas expostas criando a sensibilidade para a apreciar e fazer arte;
- Incentivar a prática de jogos infantis, brincadeiras lúdicas e saudáveis;
- Trabalhar a idéia da confecção dos seus próprios brinquedos;
-  Ensinar o “brincar conjunto” para alimentar o convívio social;
- Incentivar a reciclagem e mostrar as brincadeiras anti-ecológicas;
- Despertar a imaginação;
- Resgatar de forma lúdica e artística, a história das brincadeiras e os valores sociais, que estão sendo esquecidas na sociedade técnico-urbana dos dias atuais;

Ludmila Guerra.
Coordenadora do Projeto Brincadeiras de Criança.

*********************************************************************

Pergunta para o Ivan Cruz:
- Porque suas obras não possuem rosto?
Resp.:
            - Essa Série “Brincadeiras de Criança”, surgiu após a criação de um trabalho absolutamente abstrato (uma pintura figurando em uma tela uma imagem que não existe referencias na natureza), sempre estou procurando o “novo”.
              Como sempre trabalho em Série, apareceu a 1ª pintura em 1990 o Quadro “Crianças na Praça” com esse formato que deu origem a Série “Brincadeiras de Criança”, não me preocupando em fazer um trabalho clássico (como Leonardo da Vinci, Michelangelo, entre outros), com a preocupação com as perspectivas e as formas clássicas.
             Existe rosto, mãos e pés, mas não nas formas convencionais, tanto é que as pessoas, as crianças conseguem concluir a forma que são crianças brincando.

Com muito carinho, Ivan Cruz.
Continuem brincando muito !!!

        É muito interessante, quando constatamos trabalhando a releitura das obras com as crianças, algumas delas sentem a necessidade de colocarem os detalhes do rosto e outras não, isso é fascinante, porque vemos que elas conseguem se identificar com a obra com a sua própria visão, com as suas referencias.
       Se você conhecer o histórico de cada uma vai perceber que isso ajuda muito para você perceber como é a sua criação, conhece como são as referencias familiares.
       Hoje as crianças estão se preocupando muito com a Moda, com as coisas modernas, as meninas se vestem como mulheres e os meninos como homens adultos. Perceba isso.

        Temos uma outra resposta, que depois de muitos depoimentos, usamos também para explicar:

           As pessoas em geral falam que a ausência de face, permite que as pessoas possam se identificar nas telas.

        - imagine um rosto no quadro, dou sempre o exemplo, como sou a filha do autor da obra, como ele pintou mais de 500 quadros, com mais de 100 brincadeiras diferentes, depois dele retratar todos os seus amigos e irmãos (ele pinta sua infância, são cenas da sua rua, da sua casa, seus amigos e irmãos -  em Vigário Geral e na Penha – Bairros do subúrbio do Rio de Janeiro), seria natural ele retratar seus filhos, então eu pego um quadro que tem menina e falo para as crianças, imaginem que é o meu rosto que está na tela e logo pergunto, quem vocês vêem aqui? É natural a resposta: a Tia Lud, então respondo, só seria eu brincando. E depois pergunto, quem já brincou com essa brincadeira? Logo depois falo, como não à definição de uma única pessoa pode ser qualquer uma que já brincou com a brincadeira retratada na tela. Pode ser uma criança Brasileira, Européia, Japonesa ... branca, negra, pobre, rica ... não tem raça, nação e eles ficam com a imaginação voando, porque muitas vezes eles acham que só eles brincam com essas brincadeiras, não sabem que foram trazidas de várias formas para o Brasil através de várias conquistas Históricas.

             São várias coisas que você pode trabalhar - a multidisciplinaridade -  história, contos, literatura, música, matemática ...

           Falo também, quando você vê a Obra do Mauricio de Souza, da Turma da Mônica, quando você vê os desenhos, são os personagens que brincam, você não se coloca nos quadrinhos, é a Magali que come a melancia, é o Cebolinha a fala “elado”... e por aí vai.

          Você pode usar isso dando exemplo de você. Se coloque em uma obra. Você pode trabalhar que ser criança não tem idade, podem ser o papai e a mamãe, o vovô e a vovó... O brincar acompanha agente em todos os anos e momentos diferentes das nossas vidas , não podemos deixar a criança que existe dentro da gente morrer!!! Principalmente para essas gerações que acham que brincar é “pagar mico”, é ser “criança”, elas acreditam que precisam ser adultos antes do tempo.

Espero que tenha ajudado.

Fiquem com Deus.
Precisando de mais informações é só chamar.

Ludmila Guerra.

********************************************************************************

Letra da Música
Projeto “Brincadeiras de Criança”.

 

Compositor:Ivan Cruz.
Interprete: Marcos Vinicius Santa Rosa.

“Brincadeiras de Criança”

 

Esta noite eu tive um sonho...
Sonhei que brincava numa linda Praça
Um menininho, brincando, jogava botão,
Outro soltava pipa e mais outro, bolinha de sabão.
As menininhas brincavam de roda
- ... Terezinha de Jesus ...
E brincavam sem parar.
E quando acordei ... fui também logo brincar.

Amarelinha,
Atiradeira,
Bafo-bafo,
Bambolê.
Cambalhota,
Patinete,
Vem brincar que é pra valer !!!

Toda cidade tem uma Praça
E toda Praça tem brincadeiras de criança
Iô-iô,
Jogo da velha,
Pião,
Peteca
E garrafão
E um monte de crianças, bagunçando de montão.
Quem nunca brincou de jogar bola de gude,
Quem não soltou balão em São João,
Não sabe na verdade a alegria de brincar,
Então vem prá cá,
Brincadeiras de Criança.

Pique esconde,
Perna de pau,
Cabra-cega,
Cadeirinha,
Finca,
Arapuca
Sai pra lá que a vez é minha !!!

E quem nunca brincou de jogar bola de gude,
Quem não soltou balão em São João,
Não sabe na verdade a alegria de brincar,
Então vem prá cá,
Brincadeiras de Criança.

Amarelinha,
Atiradeira,
Bafo-bafo,
Bambolê.
Cambalhota,
Patinete,
Vem brincar que é pra valer !!!
 
Eeeeeiiiiiiiiiiii ...

Agora é só brincar !!!

Um forte abraço
Equipe Projeto Brincadeiras de Criança.

***************************************************************************

Ivan Cruz responde a pergunta da Profª Daniela Moraes Reis:

Oi Ludmila, já li tudo o que você me enviou, mas antes de iniciar meu trabalho com as crianças gostaria de saber como é o percurso criador do Ivan, que materiais ele usa, que suportes , isto para conhecer mais sobre as obras. Espero ter sido clara e que possa me ajudar.
Bjs, no aguardo.
Profª Daniela Moraes Reis.

Respondendo:

SUPORTES X TÉCNICAS:
                     Os quadros são pintados com tinta acrílica sobre tela (lona,...);
                     As Aquarelas são sobre papel;
                     As Gravuras alem do papel, as imprimo também sobre tela;
                     As Esculturas em bronze também são patinadas (pintadas) com asa de barata dissolvida em álcool com pigmento (obs.: asa de barata é um verniz em escamas);
                      As miniaturas das esculturas, quando não são em prata, são banhadas em ouro ou níquel.

 PROCESSO DE CRIAÇÃO:
                       
                       A minha preocupação sempre foi com a procura do novo. Nada contra os que copiam ou seguem os outros, mas, eu, vivo experimentando, inclusive, idéias novas.
                      
                       Não tenho medo de errar, pois que é melhor errar do que não arriscar o novo!

                       Gosto de teoria e teorizar o meu trabalho!
                     
                        Eu não aprendi a pintar e nem esculpir e ou fazer os trabalhos que faço em escola, apesar de ter freqüentado nos idos dos anos 60 a Sociedade Brasileira de Belas Artes e nos anos 80 a Escola de Belas Artes da UFRJ!

                         Gosto muitíssimo de dedicar-me e fazer o melhor que posso ao que me proponho realizar!

                          Arte, aí de um modo geral, depois de Deus e minha família é o que mais me importa!

                          Não acredito que Arte se aprende!
                         
                           Aos que me dizem: " - eu não sei desenhar...ou pintar...ou " . - eu respondo que estão enganados e sim o que se lhes falta é a coragem de aceitarem os seus desenhos e ou outras criações como próprias suas!
                           Ê aí exemplifico perguntando se seriam capaz de mudarem as suas assinaturas em face de alguém se lhes dizer que são feias! Nunca tive uma resposta positiva. Portanto àqueles que me dizem - não sei pintar, não sei desenhar, ... eu ainda acrescento: TRABALHEM ! E MUITO! AVREDITEM NO ESTÃO FAZENDO! NÃO FAÇAM NADA PRÁ AGRADAR A OUTREM PRIMEIRO! ESTUDEM MUITO - MESMO QUE AUTODIDÁTICAMENTE!

                            Assim é como procedo em meu processo de criação!

                             Se eu tivesse dado ouvidos aos meus colegas - em 1991 quando surgiu o primeiro quadro desta série que denominei “Brincadeiras de Criança" - colegas aqueles que pintavam o clássico, hoje nós não estaríamos trocando informações sobre a Arte!

                              Habitualmente brinco falando: O Picasso era o Picasso e o Ivan Cruz é o Ivan Cruz, assim como Leonardo e Miguel era Leonardo e Miguel e eu sou eu!
                              Se o Leonardo ou o Miguel vissem o meu trabalho à sua época, com certeza , travaríamos um bom combate!

                              Bem, prá começar fico por aqui;
Um grande abraço em todas as crianças e em todos os interessados no meu trabalho;
Ivan Cruz

.

******************************************************************************

Envie suas dúvidas, projetos, fotos, videos: ludguerra@gmail.com

vamos fazer um lindo trabalho juntos !!!